quinta-feira, 28 de abril de 2011

TOMAR DECISÕES, É DIFÍCIL OU FÁCIL?

decision1Acredite, tomar decisões pode ser tão fácil quanto saber se devemos dobrar a direita ou esquerda ao sair da garagem com nosso carro em uma rua de mão única. O risco de levar uma multa ou causar um acidente nos subsidia o suficiente para uma decisão como esta.

Entretanto, nem todas as decisões são tão simples e fáceis. As coisas não são sempre preto no branco. Decisões como “Que carreira devo seguir?” ou “Com quem devo casar?” são bem mais difíceis de tomar e tomar a decisão correta é crucial para sua vida e sua felicidade.

Como tomar decisões difíceis e mais complicadas?

Eu descobri com a experiência que ter o tempo suficiente para juntar todas as informações e ter uma ideia geral do problema amplia muito a perspectiva em situações como estas.

decisionAs respostas não aparecem do nada, você deve gastar um pouco de tempo e de massa cinzenta, refletindo pensando no assunto para começar a enxergar uma luzinha no final do túnel. Decisões difíceis requerem mais tempo por terem consequências mais sérias que podem influenciar toda a sua vida futura. Eu uso estas seis estratégias, listadas abaixo, que me ajudam no processo de decidir as coisas mais difíceis em minha vida:

1) Pare e olhe a fotografia toda. Um dos fatores chave para decisões acertadas é ter uma perspectiva abrangente do problema, pense em todas as circunstancias de levar a decisão a frente. Procure enxergar se esta decisão pode ainda lhe afetar daqui a um ano ou mais, se não, talvez não seja uma decisão tão importante assim. Se as consequências não lhe parecem tão ruins, relaxe e vá em frente, você sempre poderá voltar atrás em sua decisão. Uma forma pratica de enxergar o problema como um todo é escrevê-lo e detalha-lo, o ato de escrever lhe organiza as ideias e torna o processo decisório bem mais fácil.

2) O que pode acontecer de melhor? Liste toda as vantagens de tomar uma decisão pensando só nos aspectos positivos do problema. pergunte-se: “O que de melhor pode acontecer caso eu faça desta maneira”. Pode listar, Não fazer nada, como um alternativa também. Fazendo isso você saberá tudo de bom que uma determinada decisão pode lhe trazer o que já é meio caminho andado.

3)Que M… que pode acontecer? Tomar decisões acertadas envolve cálculo de riscos e consequências, no passo anterior você listou tudo de bom no reino cor de rosa, agora é a hora de pensar no pior, ou seja, que M… vai acontecer se eu fizer isso. Qual é a pior consequência que acontecerá caso tudo dê errado? procurar as alternativas que envolvem as melhores recompensas e os menores riscos normalmente são as melhores escolhas.

4) Coragem homem! Avaliar o problema e as oportunidades é maravilhoso quando se tem tempo para isso. As vezes entretanto, a decisão tem que ser tomada ali, na lata. Principalmente se houver uma data fixa e inadiável para a tomada de decisão. Nestes casos não dá muito pra pesar os prós e os contras com calma. Pisar na bola eventualmente por uma decisão errada é melhor do que não fazer nada e ver uma oportunidade de ouro se perder. A vida também é feita de erros.

oportunidades

5) Compromisso é compromisso! Uma vez tomada a decisão honre seu compromisso e vá até o fundo. Um compromisso não aceito interiormente é o inimigo mortal de suas decisões. Agarre sua decisão com unhas e dentes e entregue-se de corpo e alma para completa-la. Se não fizer isso, se não tiver persistência, provavelmente não terá sucesso em sua escolha.

6)Monte um time de apoio. Convide pessoas para dar opiniões e ajudá-lo na decisão. Principalmente se for uma decisão daquelas que causarão impacto em sua vida daqui pra frente. Pais, parentes e amigos podem ser bons conselheiros. Estas pessoas podem lhe abrir o olho para armadilhas e detalhes que o seu entusiasmo não o deixam enxergar. Na maioria das vezes você também precisará de ajuda, seja financeira, espiritual ou motivacional para dar suporte a sua escolha. procure escolher pessoas que tenham experiência de vida suficiente para ajudá-lo.

IMPORTANTISSIMO: Não existe respostas 100% seguras para nenhuma decisão difícil que você tenha que tomar na sua vida. estas dicas servem apenas para auxiliar na seleção de suas melhores alternativas e chegar a sua melhor conclusão em qual caminho seguir.

Boa Sorte!

more_opportunities_are_lost_to_indecision_tshirt-p235466703145446909q91g_400

“Perdemos mais oportunidades por indecisão do que por escolhas mal feitas”

terça-feira, 12 de abril de 2011

Quem lê, deve compreender o que lê.

lerEentenderCompreender o que se lê é muito mais importante na vida adulta do que no tempo da escola. Quem lê ficção, especialmente os clássicos, deve compreender e interpretar o que se lê. Quem lê um manual técnico deve ter habilidade de entender o texto e seguir as instruções. Quem lê normas e procedimentos do trabalho, por exemplo, deve entender o texto de forma a saber o que pode ou não pode ser feito e tomar boas decisões. Neste texto apresento alguns passos para ajudar o processo de entendimento da leitura.

Independente do tipo de texto que lemos, é importante que tenhamos total visão do que estamos lendo, seja um livro, revista, caderno ou texto eletrônico. Um dos requisitos básicos da boa leitura é dispor de uma iluminação adequada. A luz deve ser direcionada diretamente e atrás da cabeça.

write-web-copy-your-customers-will-love-reading1A próxima ferramenta, para quem precisa, é um óculos bom, com armação confortável e lentes bem feitas com no máximo dois anos de prescritas. Nunca deixe seus óculos envelhecerem mais que dois anos sob pena de não enxergar mais o que está lendo. O ideal é ir ao oculista todos os anos. Quem não precisa de óculos de leitura, deve agradecer a Deus e cuidar bem dos seus olhos

Se você é uma pessoa normal, provavelmente sua TV ou player de músicas deve estar ligado enquanto lê, se não, sua esposa, marido, filhos ou até o cachorro estão produzindo ruídos em sua volta. Desligue a TV ou o player e vá para um lugar quieto para ler. Muitas pessoas dizem que conseguem ler com qualquer tipo de barulho em sua volta, pode ser, mas certamente não conseguirão entender o texto corretamente.

no-tvO barulho da TV ou do telefone, por exemplo, não só torna a leitura mais difícil, como também nos faz divagar e perder a concentração. Isto faz com que o entendimento do texto seja mais complicado. Quantas vezes você teve que voltar a ler uma ou mais páginas para pegar o fio da história novamente?

Pode parecer uma bobagem, mas, para entender melhor o que se lê, é bom ter uma caneta e um caderno a mão. Isto é particularmente importante quando estudamos e lemos textos complexos e de difícil compreensão. Fazer anotações nos ajuda a memorizar e entender melhor os conceitos do que estamos lendo. Eu gosto de fazer anotações diretwritingamente nas páginas dos livros ou revistas que leio. Se o material que está lendo não é seu, é melhor fazer as anotações em um caderno.

Outro fator importante, que pode parecer antiquado, é manter um dicionário ao lado. Se a leitura é on-line, use um dicionário on-line. ENTRETANTO, ler na tela do computador pode não ser muito produtivo, os “desviadores de atenção” são inúmeros. Estudos comprovam que pegar, tocar e sentir o material de leitura ajuda a reter a atenção e aumenta a capacidade de compreensão.

Não importa o quanto o seu vocabulário seja bom e abrangente, é certo que existam palavras que você não conhece ou que não entende o significado. Para entender melhor o que lê, use um dicionário toda vez que se deparar com uma palavra desconhecida. Isto além de enriquecer o seu vocabulário, aumentará muito a sua capacidade de compreensão.

dicionario aurelioUm ultimo passo para melhorar o processo de leitura e entendimento é ler em voz alta. Você pode ler em voz alta para você mesmo ou para algum parceiro de estudo ou de grupo de leitura. Embora muitas pessoas achem que deve-se ler apenas com os olhos, o que devemos fazer, principalmente em ambientes públicos, o processo de ouvir a própria voz, de tocar nas paginas e segurar o livro ou revista aumenta muito a absorção do texto.

Seguindo estas pequenas dicas, tenho certeza que a sua leitura se tornará mais proveitosa e prazerosa.

sábado, 2 de abril de 2011

Reclamar: Resolve alguma coisa?

 

Reclamar: Resolve alguma coisa?

Portrait of disturbed young female screaming while putting finger in her hears

Você reclama muito?

Reclamar tem lhe ajudado?

Provavelmente menos do que você pensa

Você pode até obter um pouco de atenção momentânea

Ou, você pode ter conseguido resolver as coisas do seu jeito algumas vezes. (Mas a qual custo?)

Entretanto, ao longo do tempo, reclamar provavelmente tem sido um perda de tempo (da sua vida).

Você “deve” ter uma má reputação e não tem conseguido resolver os problemas e obter resultados..

Lembre-se , quem fala muito alto é o primeiro a ser ouvido e o primeiro a ser esquecido.

Lamentar ou agir?

Wah!

Nossa sociedade é feita por faladores...não fazedores.

Nós favorecemos a inação. Nós favorecemos a não tomada de decisões. A maioria das pessoas não participa de nada.

E, nós adoramos reclamar.

Veja alguns exemplos para ilustrar melhor este pensamento:

- Trabalhadores que reclamam do seu ambiente de trabalho, mas não fazem nada a respeito.

- Vizinhos de mal humor devido as condições de vida de seu bairro, mas que não querem se envolver com nada.

- Consumidores que reclamam do atendimento, mas não vão comprar em outro lugar.

- Indivíduos que reclamam de não ter oportunidades de crescimento no trabalho mas não fazem nada para mudar o seu futuro.


Um dos maiores problemas das empresas são os grupos de funcionários que passam horas de seu “expediente” reclamando de seus chefes e de seus empregadores.

Por que estas pessoas não pedem demissão

 e fazem alguma coisa para mudar suas vidas?


Existe uma grande diferença entre FALAR e FAZER

Ações, não palavras

positive-attitude2

Ações tem mais poder do que fazer declarações de intenções.

Faça acontecer.

Reclamar é como jogar lenha na fogueira e só provoca mais discussões e inação.

“Reclamar é uma forma de empurrar com a barriga e não resolve nada.”

Leia aqui alguns exemplos de como reclamar negativamente afeta sua produtividade:

  1. É um tremendo desperdício de tempo – Quantas horas do seu dia você dedica a reclamar? Tenho observado que muitas pessoas passam perto de 2 horas por dia reclamando do seu ambiente de trabalho. E se este tempo fosse dedicado a descobrir formas de melhorar isto?
  2. Energia Negativa – Você acredita no poder de ter um atitude positiva? Eu acredito. da mesma maneira, ter uma atitude negativa é como ter uma ancora amarrada ao seu pescoço empurrando-o cada vez mais para o fundo. Atitudes e palavras negativas drenam sua energia e derrubam sua produtividade.
  3. Você é o que você acredita que é – Se reclamar não resolve nada, você sempre acreditará que nada pode ser feito e continuará falando “eu disse” ou “eu avisei que isso não ia dar certo”. Você só colhe o que planta...e diz.
  4. Os outros pensam que você é do jeito que você diz que é – Você é aquele que sempre tem uma piadinha negativa sobre tudo ou uma má noticia para contar? As pessoas lhe percebem baseadas no que você diz e nas suas atitudes.. Se você reclama o tempo todo de tudo, então você será percebido como uma pessoa infeliz e instigadora de negatividade.

O que fazer para mudar isso?

Hands gesture positive OK

Reclamar é o oposto de produzir.

Se você está reclamando, provavelmente não está fazendo o que precisa fazer para resolver.

Reclamar é uma grande acelerador de negatividade na sua vida e influencia diretamente as pessoas que convivem com você.

A próxima vez que você sentir vontade de reclamar, pense no que você pode fazer ou sugerir para resolver o problema.

Fazendo isso ao invés de se lamuriar, você irá “influenciar” as pessoas a sua volta a fazer o mesmo.

Vamos reclamar um pouquinho menos e começar a produzir um pouco mais a partir de agora!

O que você vai conseguir parando de reclamar e começando a resolver?

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Presidenta ou Presidente?

Amigos, recebi este texto por e-mail hoje de uma colega de trabalho e resolvi divulgar aqui no Blog porque achei muito interessante e dentro do contexto do meu último post. Espero que gostem

dilma-rousseff-foto-ofici

Vamos aprender PORTUGUÊS.
Seria muito bom se este scrap corresse o Brasil.
Pior que presidenta só "menas” e "uma dó”...
Particípio Ativo
A palavra "Presidenta" existe?
Pesquisei e encontrei.
Ela também tá começando como "Ele".
dilmaTenho notado que a Excelentíssima presidente Dilma Rousseff
vem pedindo para ser chamada de primeira"presidenta" do Brasil.
Muitos, como eu, se perguntam: Presidenta?!?!... Essa palavra existe?
Como teremos esse problema pelos próximos 4 anos
(problema de português, que fique claro), pesquisei e encontrei:
No português existem os particípios ativos como derivativos verbais.
Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é
pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar
é mendicante, o de constituir é constituinte, e assim por diante.
O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente.
Aquele que tem entidade.
Dilma%20Brava1Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação expressa por um verbo, temos que adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte. Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não "presidenta", independentemente do gênero, masculino ou feminino.
Se diz chama ardente, e não chama "ardenta"; se diz estudante, e não
"estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta"; se diz paciente, e
não "pacienta".
Dizer que "falar presidenta não está errado" é desconhecer a própria língua e correr o risco de sair por aí falando, por exemplo, que a presidenta se comporta como uma adolescenta impacienta que quer estar mais eleganta e ser mais sorridenta porque é a representanta do povo e dirigenta política do país.
CREDA!
beijos e abraços com carinho

Texto de autoria de José Carlos Flor da Silva – solare@solareprime.com.br